top of page

Story Points, por que você deveria usar?

Se você está envolvido em projetos de desenvolvimento de software, é provável que já tenha ouvido falar sobre Story Points. Mas afinal, o que são e por que são tão importantes? entender por que você deveria adotar essa prática em sua equipe.



O que são Story Points?

Story Points são uma unidade de medida usada em metodologias ágeis, como o Scrum, para estimar o esforço necessário para implementar uma funcionalidade. Ao contrário das estimativas tradicionais baseadas em horas, os Story Points focam no tamanho relativo das tarefas, considerando complexidade, incertezas e esforço geral.



A Escala de Story Points: Decifrando o Tamanho Relativo

A escala de Story Points pode variar de equipe para equipe, mas é comum utilizar uma sequência de Fibonacci (1, 2, 3, 5, 8, 13, etc.) ou uma escala de camisetas (P, M, G, GG). Essa abordagem não-linear reflete a dificuldade de precisar o esforço exato para tarefas complexas.





Fibonacci: A sequência de Fibonacci é preferida por muitas equipes, pois reflete a incerteza e a dificuldade em estimar tarefas maiores com precisão. Cada número é o resultado da soma dos dois anteriores, enfatizando a variação no tamanho relativo das tarefas.


Camisetas: A escala de camisetas simplifica a escolha do Story Point, associando-o a tamanhos de roupas. As equipes podem classificar as histórias como "pequenas" (P), "médias" (M), "grandes" (G) ou "extra grandes" (GG), proporcionando uma abordagem mais intuitiva para a estimativa.


Independentemente da escala escolhida, a chave é manter a consistência e ajustar conforme necessário para garantir que a equipe tenha uma compreensão compartilhada do que cada ponto representa em termos de esforço.



Por que usar Story Points?




Flexibilidade e Velocidade: Story Points permitem uma abordagem mais flexível às estimativas, pois não estão atrelados a horas específicas. Isso permite que a equipe se concentre na complexidade da tarefa, resultando em estimativas mais realistas.


Comparabilidade: Ao atribuir Story Points às histórias, a equipe pode comparar o esforço relativo entre diferentes tarefas. Isso facilita a priorização e o planejamento, permitindo que a equipe tenha uma visão clara das demandas do projeto.


Foco na Complexidade: Story Points incentivam a equipe a considerar a complexidade e os desafios associados a uma tarefa, em vez de simplesmente contar horas de trabalho. Isso leva a estimativas mais precisas e a um entendimento mais profundo das demandas do projeto.


Melhoria Contínua: Com base nas iterações anteriores e na velocidade da equipe, é possível realizar previsões mais precisas para futuras entregas. Isso alimenta um ciclo de melhoria contínua, ajudando a equipe a se aprimorar ao longo do tempo.


Ao incorporar uma escala de Story Points em seu processo ágil, você capacita sua equipe a abordar as estimativas de forma mais completa, considerando não apenas o tempo, mas a complexidade inerente a cada tarefa. Essa mudança de mentalidade resulta em planejamentos mais precisos, entregas mais previsíveis e uma equipe mais adaptável às demandas dinâmicas do desenvolvimento de software.



Posts Relacionados

Ver tudo

Mais conteúdos...

Aprenda algo novo ainda hoje.

bottom of page